Óleos com benefícios para a saúde íntima? Entenda mais!

Óleos benefícios para a saúde íntima

Provavelmente você já ouviu de uma amiga alguma dica de óleo que faz praticamente milagre, não é? Os óleos naturais têm ganhado popularidade nos últimos anos e não é à toa. Afinal, eles são versáteis e econômicos, podem ser usados na pele, no cabelo e em diversas receitinhas caseiras. Mas será que aplicar em regiões mais sensíveis é realmente uma boa ideia? Te explicamos a seguir se óleos têm benefícios para a saúde íntima de verdade.

Vem com a amai saber tim-tim por tim-tim! 💜

Óleos têm benefícios pra saúde íntima?

A gente sabe que o uso de óleos naturais têm feito sucesso, especialmente o óleo de coco, que é versátil e pode ser usado em diversas partes do corpo. Salva o cabelo, hidrata a pele como ninguém e até mesmo pode ser usado em receitas saudáveis. Ou seja, não tem perigo algum, não é? Calma que não é bem assim! Passar óleo de coco na vagina, ou outras variedades, pode não ser a melhor forma de melhorar a hidratação na região para todo mundo.

Apesar de muitos deles serem eficazes como aliados da beleza e do skincare, a maioria dos óleos naturais não é recomendado para uso nas partes íntimas. Se você estiver com a pele ressecada, passar óleo na virilha pode até dar um help, mas é importantíssimo evitar o contato com os lábios e o canal vaginal.

A verdade é que, para alguns variedades bem conhecidas, não há pesquisas que comprovem se os óleos têm benefícios para a saúde íntima masculina ou feminina. Ou seja, o melhor mesmo é conversar com seu ginecologista, viu?

Outro ponto importante é que, quando substâncias externas entram em contato com nossa vagina, há risco de alteração do pH, sabia? Nosso corpo é su-per inteligente e tem um órgão autolimpante que se mantém equilibrado sem a necessidade de interferências externas. Ou seja, a melhor forma de cuidar da higiene íntima é manter as condições ideais para que isso aconteça, evitando a aplicação de sabonetes e óleos dentro do canal vaginal. Anotou aí?

Se você quer saber como hidratar a região íntima, saiba que existem produtos formulados especialmente para essa área tão delicada do nosso corpo. Tem um post aqui no blog totalmente dedicado ao skintimate pra você virar expert no assunto e cuidar da sua vulva do jeitinho que ela merece! ✨

Óleos naturais x candidíase

Como você já deve ter lido por aí, o óleo de coco é realmente incrível, rico em ácido caprílico e ácido láurico, ambos com potente ação antifúngica e antimicrobiana. Quando se trata de combater a candidíase de maneira natural, o óleo de coco acaba sendo citado. Mas será que a ciência concorda com esse conhecimento popular?

A candidíase é uma condição comum que acontece quando há um crescimento excessivo de fungos de levedura dentro do intestino, que acabam migrando para a vagina e desequilibrando a flora natural. Esse desequilíbrio pode causar sintomas desconfortáveis, como ardência, coceira, irritação na vulva e na vagina, e até mesmo dor durante a penetração sexual.

Ah, e vale uma ressalva: embora exista também a candidíase sistêmica, mais séria e com sintomas ainda mais graves, aqui estamos focando na candidíase vaginal, certo?

Geralmente, o desequilíbrio ocorre devido ao uso frequente de antibióticos e alimentação inadequada. Para ajudar a combater a candidíase naturalmente, o coco pode ser uma excelente opção, mas não do jeito que você está pensando.

Estudos já mostraram que esse ácido graxo, quando ingerido por via oral, reduz os sintomas associados a infecções fúngicas por cândida. E o melhor: é mais barato e mais eficaz do que diversos medicamentos sintéticos para o tratamento dessas infecções! Porém, quando se trata de aplicar o óleo de coco direto, um estudo publicado na Revista Brasileira de Análises Clínicas sugere que o produto não tem potencial antifúngico suficiente pra resolver o problema.

Resumindo, a melhor dica é sempre procurar ajuda médica e não sair passando nada na região íntima sem orientação, mesmo que seja algo natural.

Óleo de rícino para candidíase: como usar

Além do famoso óleo de coco, o óleo de rícino também pode ser usado como antifúngico em diversas situações. Estudos mostram que o óleo de rícino possui uma propriedade antifúngica potente, especialmente contra a Candida albicans, fungo responsável por causar candidíase na boca e na vagina.

Testes publicados no Journal of Oral Science revelaram que o óleo de rícino é capaz de eliminar a Cândida tanto da mucosa oral quanto dos dentes afetados. Além disso, também pode ajudar a tratar a estomatite relacionada às próteses dentárias, que pode ser causada pelo super crescimento da Candida.

Mas isso não quer dizer que você pode sair aplicando óleo diretamente na região genital, viu? Usar óleos para partes íntimas pode ser um grande furada, principalmente sem acompanhamento especializado. É importante sempre consultar um profissional de saúde para avaliar a necessidade e a segurança do uso desse óleo para tratar essas e outras condições.

Óleo de melaleuca na região íntima: faz sentido?

“Mela o quê?” 🤔 Talvez o nome possa causar estranhamento, mas não é difícil encontrá-lo em diversos produtos de beleza e cuidados pessoais. O óleo essencial de melaleuca tem sido uma opção para o tratamento de infecções fúngicas causadas pelo gênero Candida, além de possuir também ação antisséptica e cicatrizante.

Primeiro, vale o adendo: ele só pode ser usado de maneira externa e jamais consumido via oral, pois pode ser tóxico. Além disso, nada de colocá-lo diretamente em contato com a região íntima, pois pode causar irritação na pele. Seu uso deve ser feito sempre diluído, em produtos com formulações seguras já pensadas para essa área.

Pode passar óleo na parte íntima?

Resumindo a história: não é recomendado passar óleo ou outros produtos na parte íntima, pois isso pode causar irritação e desequilibrar a flora vaginal, aumentando o risco de infecções. Como já explicamos, a região genital feminina tem uma auto limpeza natural, que deve ser preservada. 🌷 A higiene adequada deve ser feita apenas com água e sabonete neutro, evitando duchas vaginais ou outros produtos que possam alterar o pH da região. Em caso de qualquer desconforto ou sintoma diferente, é importante buscar orientação médica.

Óleos essenciais x saúde íntima

Mesmo que você tenha visto alguém jurando de dedinho nas redes sociais que óleo essencial para região íntima é uma boa ideia, cuidado! Na internet tem surgido muita gente falando do uso principalmente para melhorar a aparência ou até mesmo odores. No entanto, essa prática pode oferecer riscos.

Nossa vagina não precisa de óleos extras, hidratantes e desodorantes para ser limpinha. Além disso, o uso dessas substâncias em outras partes da região íntima pode causar irritações e reações alérgicas.

Ah, e tem uma coisa que muita gente não sabe: os odores mais fortes, principalmente durante a menstruação, têm a ver com o absorvente que você usa. É isso mesmo! 😲 Muitos deles são feitos com plásticos e outros componentes que fazem mal à saúde da vulva, causando problemas como odores acentuados, alergias e até problemas hormonais.

Para manter a saúde íntima em dia e combater possíveis odores ou condições, é sempre importante buscar a orientação de um profissional da saúde. E, claro, não esqueça de cuidar bem da higiene íntima, com produtos específicos e indicados para essa área.

Qual óleo pode ser usado como lubrificante?

Pode ter risco para o seu bem-estar: além da questão do Ph da região, usar o óleo com preservativos de látex não é boa combinação. Isso não só aumenta as chances de uma gravidez indesejada, mas também o risco de transmissão de ISTs. Perigoso, né? Portanto, para garantir uma proteção adequada, os preservativos de látex devem ser usados com lubrificantes à base de água.

Cuidados naturais para sua saúde íntima:

Adoramos opções naturais e sustentáveis, afinal, cuidar da nossa saúde íntima e do meio ambiente é sempre importante! É justamente por isso que os absorventes da amai são feitos de matérias primas orgânicas, que preservam o seu bem-estar e do planeta.

No entanto, é preciso ter cuidado com alguns produtos, como é o caso do óleo de coco na vagina. Tendo isso em mente, você pode continuar aproveitando os benefícios desse óleo poderoso para diversas partes do corpo, como o cabelo, a pele e até para fazer máscaras faciais. Não precisa jogar seu óleo fora, ok?

Mas lembre-se sempre de você deve consultar seu ginecologista de confiança antes de usar o óleo e, assim, para manter a saúde da sua vagina em dia! Em alguns casos, como na menopausa (onde a mucosa fica mais ressecada) ou para a melhora da flora local ele pode ser um aliado e tanto – desde que utilizado sob orientação profissional.


Deixe um comentário

Observe que os comentários precisam ser aprovados antes de serem publicados