Flora vaginal: por que é tão importante?

Flora vaginal: por que é tão importante?

Você já deve ter ouvido falar sobre "flora intestinal", mas e flora vaginal, já ouviu também? Sabia que ter essas duas floras equilibradas é essencial para a nossa saúde? No caso da flora vaginal, ela é peça chave da nossa saúde íntima e proteção contra microorganismos.

Mas afinal, o que é essa região e o que a afeta? Conversamos com a ginecologista Dra. Ana Delazia que tirou todas as nossas dúvidas. Vem com a gente!

E o que é flora vaginal?

Flora vaginal é um conjunto de bactérias e fungos naturais, principalmente as do gênero lactobacilos, que habitam a vagina e são responsáveis pela proteção contra outros micro-organismos potencialmente nocivos para a saúde. Esses micro-organismos “do bem" que nos protegem, também formam grandes colônias em outros órgãos, como o intestino, a pele, boca e, como veremos aqui, a vagina.

Com uma flora desregulada, ou seja, com esse sistema de proteção "fraco", estamos mais sujeitas a contrair doenças como a vaginose e a candídiase que causam diversos sintomas como coceira, odor desagradável e corrimento atípico.

E sabia que essa proteção feita por esses micro-organismos tem total relação com o nosso pH? É isso mesmo, eles produzem ácidos que equilibram nosso pH e aumentam essa proteção. Mas isso a gente já te explicar melhor...

pH e flora vaginal

O pH (potencial hidrogeniônico) é extremamente importante para o controle da flora. Um valor de pH vaginal saudável é entre 3,8 a 4,5, ou seja, mais ácido. E as bactérias "boas” que vivem na região são as responsáveis pela manutenção deste valor e, por isso, produzem o ácido láctico, que acidifica a vagina.

Mas nada disso é por acaso! Essa acidificação é nossa barreira natural contra infeções e irritações, pois inibe o crescimento de bactérias “ruins” que preferem um ambiente menos ácido.

O afeta a flora vaginal?

É importante saber que algumas situações afetam a nossa flora, alterando nosso pH. Portanto, manter uma boa flora vaginal é deixar o pH da vagina sempre estável e ácido, e devemos nos atentar aos seguintes fatores que interferem na nossa flora:

  • Antibióticos: podem matar os lactobacilos vaginais;
  • Relações sexuais: o esperma tem um pH mais elevado (alcalino) e quando frequentemente depositado no canal vaginal pode interferir na acidez;
  • Menstruação: o sangue também tem um pH menos ácido;
  • Amamentação e menopausa: reduzem níveis de estrogênio e com isso diminuem o número de lactobacilos, elevando o pH vaginal;
  • Alterações metabólicas (ex.: diabetes): causam maior acidez vaginal, facilitando a candidíase;
  • Estresse: libera cortisol que altera os níveis de estrogênio e, consequentemente, alteração do pH,
  • Duchas vaginais: lavar excessivamente a vagina altera toda a flora e muda o pH original da vagina. Lembrando: não precisa lavar dentro, ela é autolimpante.

Deixe um comentário

Observe que os comentários precisam ser aprovados antes de serem publicados